Bem vindo!

Navegação da categoria:

Você está agora em:







Boletim informativo

Boletim informativo
 

AUTISMO / QUELAÇÃO

Revisão: Desentoxicação através da Terapia de Quelação

By John Green, M.D.
The EverGreen Center, Oregon City, Oregon

Dr. Green é especialista em ecologia clínica e nutrologia. Médico DAN, compromete sua atenção total ao tratamento de crianças autistas desde 1999.

O que é terapia de quelação? Como ela funciona? Como é realizada? Porque esta terapia em autismo tem tantos defensores e oponentes?Quais são os riscos e benefícios da terapia de quelação? Porque ela é a que recebe a melhor avaliação de efetividade por parte dos pais entre todos os tratamentos atualmente disponíveis?

A quelação funciona como o sistema de defesa natural de sulfuração onde pequenas moléculas se ligam aos metais tóxicos para sequestrá-los e eliminá-los. Os quelantes comumente utilizados para o tratamento do autismo são DMSA, DMPS e EDTA. Os três são efetivos para remover chumbo e cádmio enquanto o DMPS E DMSA são efetivos também para mercúrio, alumínio e arsênico. EDTA é também algo efetivo para alumínio. EDTA e DMSA estão disponíveis nos EUA e o DMPS em países do Leste Europeu. Estes três agentes podem ser usados por Via Oral ou retal, o DMPS e cálcio EDTA podem ser administrados por Via Endovenosa. DMPS é também efetivo por injeção intramuscular. Formulações trandérmicas dos três estão disponíveis com eficácia comprovada para DMPS E DMSA e incerta para o EDTA.

O melhor teste para intoxicação por metais é o teste de desafio da quelação. A droga quelante é administrada seguida de um teste de urina para determinar a eliminação dos elementos tóxicos. Este teste é repetido periódicamente para avaliar o progresso do tratamento.Em nosso consultório usamos o DMPS , o mais potente agente quelante para retirada do mercúrio (que deve ser preparado em farámcia de manipulação) uma vez que este pode ser injetado junto com a glutationa e evita o problema de baixa absorção oral. Outros preferem o DMSA uma vez que este não atravessa a barreira hemato encefalica e é aprovada pelo FDA para chumbo.Testes de desafio transdérmicos não são confiáveis.

A escolha do agente quelante e da via de administração deve ser individualizado para cada criança. Após iniciar o tratamento é importante avaliar tanto a eficácia quanto a tolêrancia.

Não é necessário iniciar a terapia muito vigorosamente a melhor regra é seguir o aforisma "devagar e sempre". Métodos trandérmicos de aplicação do DMPS ou DMSA são sempre preferidos uma vez que diminuem a exposição intestinal complexo quelante/toxina. Se houver probelmas com um metodo é razoável mudar para outro. Após os níveis de mercúrio cairem para um nível baixo , o acido lipóico por via trandérmica é frequentemente ministrado em conjunto com DMPS ou DMS para acrescentar maiores benefícios. Há fortes evidências de que as crianças autistas tem deficiências em seus sistemas de desintoxicação causando aumento da vulnerabilidade a intoxicação por metais. Em adição aos metais pesados (particularmente mercúrio , chumbo, arsênio, antimonio e alumínio) nos encontramos elevados niveis plasmáticos de PCB e solventes organicos voláteis em todas as crianças autistas testadas em nosso consultório. Estas outras toxinas enfraquecem ainda mais seus sistemas de desintoxicação causando strêss oxidativo , disfunções imunes, deficiência de enzimas e energia , disrupção da comunicação celular e início e agravo da inflamação crônica. O resultado destas pertubações é um complexo de ciclos viciosos de dano tissular.Desintoxicação por quelação e tratamentos de suporte ajudam a quebrar estes ciclos e restaurar o processo fisíologico.

Quelação com o EDTA intravenoso tem sido usada com segurança por décadas em pacientes idosos e em crianças intoxicadas por chumbo. Entretanto questões sobre segurança cresceram nos últimos anos porque duas crianças morreram em decorrência do uso inapropriado de EDTA dissódico ao invés do Cálcio-EDTA. Eles receberam a medicação errada ( um erro causado pela similaridade dos nomes dos medicamentos) através de uma técnica de aplicação venosa inadequada e morreram de depleção severa de cálcio.Se uma criança é tratada com EDTA deve ser com o cálcio-EDTA que já se provou segura.

Os riscos da terapia de quelação propriamente dita são poucos. Os princípais problemas vistos são infecções fungícas ou bacterianas no intestino e depleção de oligoelementos- especialmente o zinco. Isto tende a provocar aletrações de comprotamento geralmente previníveis por suporte intestinal , suplementação mineral e /ou troca do sistema de qualação. Os rashes podem necessitar troca da medicação ou da via de administração.Reações alérgicas graves são raras. Preocupações refrentes aos efeitos da quelação no figado, rins e medula óssea são frequentes mas não existe nenhum evidêcia de danos irreverssíveis a estes orgãos em crianças submetidas a quelação. Ao contrário, testes de segurança e experiências com milhares de crianças demonstraram extraordinária segurança destas drogas.

Em nosso consultório preferimos utilizar o DMPS pela via trandérmica (com doses intermitente via oral para ajudar a limpar o intestino). Nós também podemos variar os quelantes e a via de administração para optimizar os efeitos de cada um e assegurar qual destes é mais efetivo. Por exemplo, nós podemos utilizar o DMPS transdérmico por três dias numa semana, DMSA trandérmico por três dias na proxima semana e DMPS via oral por dois dias na outra semana. Se a criança apresenta mais beneficios com algum deles nós vamos continurar com este agente. Enquanto alguns médicos utilizam um esquema de tratamento em dias alternados , nós achamos mais efetivo usar estas medicações de forma intermitente, três dias de administração seguidos de 4 a 11 dias de repouso, e um "washout" de três ou mais dias é necessario entre medicações diferentes.

Porque existem tão avidos defensores e oponentes? Os defensores são profissionais que utilizam a quelação rotineiramente e tem visto excelentes resultados em seus pacientes. Os oponentes são pessoas que não se utilizam da quelação na prática e levantam argumentos teóricos contra seu uso.

Por que a quelação tem os mais altos indíces de efetividade na avaliação dos pais de acordo com o Autism Research Institute - Instituto de Pesquisa sobre Autismo(ARI)? A resposta simples é que a terapia de quelação é extremamente útil para as crianças autistas com muito poucos efeitos colaterais. A quelação ajuda a quebrar muitos ciclos auto perpetuados que contribuem para o dano tecidual e os complexos sintomas do autismo abrindo caminho para reparação e recuperação.

Se o seu filho teve o diagnóstico de autismo, e particularmente se ele regrediu/perdeu aquisições é extremamente possível que fatores ambientais tenham causado o dano. No grupo Defeat Autism Now! Acreditamos que predisposições genéticas e provavelmente epigenéticas (genes mudando devido a influencias ambientais) interagindo com exposição a toxinas , causam a síndrome do autismo. O tratamento de desintoxicação se inicia com a optimização da dieta e da nutrição, redução à exposição a toxinas ambientais e suporte para as funções digestivas e imunes conforme o Protocólo Defeat Autism Now!.Alem dessa terapia fundamental de suporte a qualação vai acelar a cura de seu filho. Pode chegar o dia em que seu filho agradecrá por todos os esforços em trazer o melhor tratamento biomédico para facilitar sua recuperação.

Para maiores informações no tratamento de quelação para crianças autistas veja : " Opções de tratamento para intoxicação por mercúrio/metais no autismo e doenças do desenvolvimento relacionadas : artigo de Consenso" em www.AutismMercuryDetox.com.

 VOLTA PARA CIMA

 

 

Meu carrinho

Você não tem itens no seu carrinho de compras.

Atendimento Online

No momento não temos nenhum operador online.

Comparar produtos

Você não tem itens para comparar.